Antes do Anoitecer

O filme conta a história de Reinaldo Arenas (Javier Barden), um poeta e escritor cubano que foi duramente perseguido pelo governo por ser homossexual. Nascido em 1943 num povoado pobre, Arenas sobreviveu a uma infância difícil e voltou-se para a literatura. Diante da repulsa familiar ao seu talento natural para a poesia, resolve fugir de casa, ainda garoto, com o ideal de juntar-se aos rebeldes do período pré-revolucionário de Cuba. Seus ideais infanto-juvenis logo são frustrados, ao mesmo tempo em que vai crescendo e se descobrindo homossexual.
Ainda em Cuba, começou a ganhar prêmios, e sua notoriedade cresceu na mesma medida que os problemas com o governo. Marcado por ser homossexual, foi condenado à prisão no presídio de El Muro, que funcionava como uma espécie de campo de concentração para intelectuais gays. Quando finalmente obteve a licença para emigrar para os EUA, em 1980, já estava muito abatido, física e psicologicamente. Em Nova York, acabou contraindo o vírus da Aids e morreu precocemente em 1990, aos 47 anos, sozinho e sem dinheiro, apesar de seus livros serem best sellers em vários países.
O roteiro foi baseado no romance homônimo autobiográfico de Reinaldo Arenas, escrito no período de maior sofrimento de sua vida e publicado alguns anos após sua morte.
Ganhou o Prêmio Especial do Júri, Melhor Ator para Javier Bardem, Melhor Trilha Sonora e ainda uma Menção Especial ao diretor Julian Schnabel no Festival de Veneza. Javier Barden ainda foi indicado ao Oscar e Globo de Ouro de Melhor Ator.
Falado todo em inglês, o filme abre espaço para que Bardem recite em espanhol diversos dos poemas de Arenas. Entre os atores coadjuvantes estão Johnny Depp com dois papéis, Sean Penn e o diretor Hector Babenco que interpreta Virgilio Piñeyro, um dos intelectuais homossexuais perseguidos na mesma época que Arenas.
Before Night Falls (título original) tem uma narrativa clássica, quase documental. Quando necessário, carrega nas tintas e descarta qualquer tipo de obviedade que o tema poderia supor. A trilha sonora, eclética, que vai do erudito à música popular, segue o clima plástico que conceitua o filme. É um trabalho sério, tecnicamente muito bem feito, digno e pesado que exige uma dose de boa vontade de quem vai assisti-lo. A recompensa são duas aulas: de humanidade e de cinema. É um poema cinematográfico, perturbador, libertário. Drama, 125 min. Baixe esse filme.
.
.
Anúncios

Tags:, ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: