Terra em Transe

O senador Porfírio Diaz (Paulo Autran) detesta seu povo e deseja tornar-se imperador de seu país, Eldorado – um país localizado na América do Sul. Mas para realizar seu desejo precisará enfrentar a resistência de outros homens que também querem o mesmo poder. O elenco é de primeira: Jardel Filho, José Lewgoy, Danuza Leão, Hugo Carvana. Francisco Milani, Paulo César Pereio, Jofre Soares, Modesto de Souza, Mário Lago, Flávio Migliaccio, Telma Reston, José Marinho, Paulo Gracindo e Glauce Rocha, além de Autran.
Foi filmado entre 1966 e 1967 no Brasil, retratando o cenário político da América Latina pré-ditaduras. A indecisão e contradição dos artistas são evidenciadas, como no caso da personagem do poeta que trabalha tanto para a esquerda quanto para a direita. Mesmo falando sobre o passado, Glauber foi profético em sua descrença na esquerda latino-americana quando o candidato eleito da esquerda não cumpre as promessas de campanha e não perpetra as reformas sociais necessárias.
Mesmo sendo em preto e branco – e também por isso – seu forte é a estética. Sua narrativa é descontínua (não linear), caótica, dinâmica e ainda muito inspirada nas escolas italiana e soviética, suas principais influências. Nas palavras do próprio diretor: “Convulsão, choque de partidos, de tendências políticas, de interesses econômicos, violentas disputas pelo poder é o que ocorre em Eldorado. (…) Queria abrir o tema “transe”, ou seja, a instabilidade das consciências. É um momento de crise.”
Esse é o filme apontado como o cerne do movimento conhecido como Cinema Novo – que retrata o Brasil real, fiel à realidade social – e que ganhou respeito mundo afora e a admiração de diretores como Martin Scorsese e Jean-Luc Godard. Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Cannes de 1967, Terra em Transe foi proibido em todo território nacional, por ser considerado subversivo e irreverente com a Igreja.
Glauber Rocha merece ser visto pelo seu talento e genialidade, e esse filme é uma boa amostra de sua capacidade. Ele ainda ganhou o prêmio de Melhor Diretor em Cannes em 1969, pelo filme O Dragão da Maldade Contra o Santo Guerreiro. Quarenta anos depois Terra em Transe ainda é revolucionário. Drama, 115 min. Baixe esse filme.
.
Trecho do filme:
.

Tags:, ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: